Qual é a do Bolsonaro? Polêmico? Sim. Sério? Não.

A ascensão do “mito” vem mais de suas falas e posicionamentos polêmicos voltado para uma parcela da população que se esquecem dos livros de história e acreditam que o período do golpe militar (1964-1985) foram anos de glórias e liberdades democráticas, do que a sua atuação como parlamentar.

Mas uma coisa pauto: A sagacidade do Jair. Ele se aproveita de uma receita pronta e não apropriada ainda em sua totalidade, que paira no ar e é acrescida todos os dias pelos mais sensacionalistas meios de comunicação através dos seus loquazes apresentadores que de forma indireta incentivam a violência “justa” da população, onde linchar e amarrar um outro cidadão não é crime, tendo em vista que o sujeito (geralmente preto e pobre é o bandido).

Esses apresentadores, que por vezes nada diz, mas expressam em suas faces ou gestos de desaprovação a atos que cabem a justiça julgar, mas não, ali mesmo querem direcionar a opinião dos telespectadores, sendo esses os promotores e juízes.

“Adote um bandido”, disse a  Rachel Sheherazade de forma inflamada justificando a ação dos “justiceiros” sendo a mesma compreensível e afirmado a falta de ação do Estado e o desarmamento do “cidadão de bem”.

Está pronta a receita que o Bolsonaro percebeu e está preparando o seu bolo.

  • Pais violento;
  • Sensação de insegurança;
  • População desarmada;
  • Imprensa que incentiva mais a violência;

Aliando a isso aparece o salvador da Pátria, aquele que tem o perfil de quem irá resolver os problemas de violência nacional, aquele que tem o discurso de grande intolerância, que irá acabar com os bandidos à bala e que irá armar o cidadão de bem, aquele que é arrogante para demonstrar poder e segurança. Aparece o Bolsonaro (ou Bolsomito).

Todo esse discurso de ódio, justificativa midiática e uma pessoa capaz de executar atrocidades em nome de uma “paz” ou dos cidadãos de bem já foi vista na nossa história e não deu certo.

Com um discurso altamente nacionalista, manipulando os meios de comunicação e com apoio da população cansada da situação em que viviam, Adolf Hitler tentou limpar a Alemanha dos “marginaizinhos”.

As propagandas do Füher onde igualava os judeus e outras minorias a pragas como ratos que espalhavam doenças e contaminavam a sociedade alemã, foram aceitas pela população como verdade, já que o Füher, o salvador daquela sociedade chancelava os justiceiros. Essa população (cidadãos de bem) foram cúmplices no holocausto, perseguindo e denunciando judeus para serem levados aos campos de concentração.

Qual é a do Bolsonaro?

Eu vejo como simples a grande jogada desse senhor. É ser polêmico mesmo, falar asneiras, estar nas mídias a todo custo, se aproveitar da vulnerabilidade social, aproveitar das brechas de um jornalismo sensacionalista e se a sua furada candidatura a presidência colar, ótimo, senão a sua reeleição para a Câmara dos Deputados já está garantida.

O Bolsonaro não vai trocar uma reeleição certa a Deputado por uma ilusória candidatura a presidência.

O que me preocupa é a geração de adoradores do Bolsonaro que está sendo criada.

Dias sombrios estão chegando.

Descendentes de escravos ainda são amarrados no poste em Comunidade Quilombola em MG

É difícil de acreditar que em pleno ano de 2017, os descendentes de escravos ainda sofrem as mesmas agressões que os seus antepassados. Não foi somente em nosso passado, por mais distante que pareça, que os nossos irmãos e irmãs negros(as) eram amarrados nos postes para serem agredidos e humilhados das formas mais violentas e cruéis que o homem pode criar. Apesar das décadas de lutas para a busca de seus direitos, a história ainda é banhada de sangue: sangue da luta por justiça e liberdade.

A Comunidade Quilombola Marobá dos Teixeira, no coração do Vale do Jequitinhonha, na cidade de Almenara (MG), ainda luta para ter o reconhecimento e regularização de suas terras, expropriadas por coronéis nas décadas de 1930 e mantida por eles até a primeira década do ano 2000.

Os resquícios do coronelismo, presentes ainda no Vale, não aceitam a retomada das terras pelos seus donos originais e, de forma covarde, atentaram contra a vida das lideranças da comunidade, a fim de amedrontar os quilombolas e, colocando-os sob a doutrina do medo, enfraquecer a luta pela terra antes usurpada.

No dia 24 de março, três pistoleiros tentaram silenciar a vida de duas lideranças quilombolas: o Sr. Jurandir Teixeira e sua esposa Maria Rosa foram vítimas de uma cruel tentativa de homicídio – ao que tudo indica, em função de suas lutas para reconquistar as terras que antes foram tomadas à “bala de revolver”.

Sr. Jurandir e as marcas da tortura

O Sr. Jurandir conta que na noite do dia 24, por volta das 20:00hs, um carro branco, parecido com o modelo Novo Uno, chegou ao quintal de sua casa, no Quilombo Marobá dos Teixeira, e os seus ocupantes chamaram pelo seu nome. Quando ouviram a resposta positiva por parte do Sr. Jurandir, o pistoleiro disse: “Graças a Deus que encontramos o Sr.”. Em seguida, anunciou que era um assalto e os outros dois sujeitos, que também estavam no carro, correram para dentro da casa do Líder Quilombola para dominar a Sra. Maria Rosa.

A sessão de tortura logo começou. Do lado de fora, o Sr. Jurandir foi amarrado e torturado a golpes de porrete, socos e chutes. Os pistoleiros perguntavam onde estavam as armas, mas a resposta era sempre negativa, pois não havia arma alguma por parte dos quilombolas. Por fim, um dos pistoleiros o amarrou em um poste de energia elétrica. Estava escuro e o pistoleiro pensou ter amarrado o pescoço do Sr. Jurandir com intenção de enforcá-lo, ele relata, mas a corda ficou presa em seu queixo e, surpreendido com um violento chute na cabeça, ele desmaiou. Pensando terem matado o Sr. Jurandir, a tortura concentrou-se na Sra. Maria Rosa.

A fim de envenená-la, os pistoleiros tentaram fazer com que ela ingerisse um líquido cujo a mesma acredita ser “chumbinho” (um tipo de veneno para ratos). Porém, a Sra. Rosa “cuspiu” todo o líquido. Em seguida, com ela amarrada, eles injetaram em seu braço uma substância ainda desconhecida: “Foi uma dor terrível e pareceria que eles estavam rasgando o meu braço”

Sede do quilombo fica fechando a correntes por receio dos moradores

, relatou a Sra. Maria Rosa.

Forjando um falso assalto, os criminosos não levaram todo o dinheiro das vitimas tinham e deixaram uma parte à vista, o que demonstra que não tratou-se de um assalto (pois, que ladrão deixaria dinheiro em espécie na casa de suas vítimas?). Mas, o que os criminosos não se esqueceram de levar foram todos os arquivos digitais do Quilombo e da Associação Quilombola.

Pensando ter eliminado os dois líderes quilombolas, os pistoleiros deixaram o local, foi quando o Sr. Jurandir retomou a consciência e, com muita dor e dificuldade, conseguiu se soltar e em seguida socorrer a sua esposa.  Ainda na noite escura, se embrenharam no mato e buscaram ajuda na sede da comunidade quilombola.

A Polícia Civil abriu inquérito e investiga o ocorrido, sem nada de concreto até o momento. Porém, nota-se que o objetivo principal teria sido o de exterminar as lideranças do Quilombo Marobá dos Teixeiras. Qual criminoso vai roubar um imóvel e não leva todo o dinheiro encontrado? Qual assaltante leva veneno já preparado para dar de beber as vítimas? Qual assaltante leva seringa e agulha para um assalto?

Xícara com o qual Dona Rosa teria sido obrigada a ingerir veneno

Desde o ocorrido, o Sr. Jurandir e a Sra. Maria Rosa não dormem mais em sua casa, pois têm medo de sofrerem um novo atentado. O clima atual no quilombo é de incerteza e insegurança. Percebe-se a apreensão de todos quando notam a chegada de um carro diferente, quando um cão ladra a noite e até mesmo a movimentação de algum animal próxima à sede do quilombo já é motivo de medo e preocupação.

As feridas físicas serão curadas em breve, mas as marcas psicológicas, essas serão difíceis de serem curadas. Ambos não conseguem dormir à noite, sempre retomando a lembrança da tortura e da tentativa de assassinato.

O claro objetivo de enfraquecer a luta quilombola não foi bem-sucedido. Para aqueles que detêm o real interesse naquelas terras, a união do quilombo e a luta não foram abaladas: foram fortalecidas. São décadas de luta e, segundo o próprio Sr. Jurandir, não será por esse triste e trágico episódio que toda a luta estará perdida.

Sr. Jurandir e Dona Rosa Maria mostram como foram agredidos

Os processos de lutas e as batalhas judiciais vêm sendo favoráveis às famílias que compõe o quilombo. A comunidade há quase uma década já é reconhecia pela Fundação Cultural Palmares, também tem a posse da Fazenda Marobá, tal posse é cedida pela Justiça Federal via liminar. Resta agora o INCRA e o Governo Federal finalizar o processo administrativo de regularização fundiária da comunidade quilombola, tal processo se encontra em Brasília aguardando publicação de Portaria e Decreto, o que lhes trará mais segurança sobre as suas terras e poderá pôr fim a este conflito.

Será que o INCRA e o Governo Federal estão esperando que vidas quilombolas sejam tiradas para que isso ocorra? Não basta os séculos de exploração de mão de obra escrava? De povos raptados em suas terras natais para serem explorados, aqui, no abençoado novo mundo? De seres humanos serem tratados piores do que muitos animais? Quando essa dívida histórica será reconhecida e paga?

Foi no lombo chicoteado e ensanguentado de nossos negros que está nação foi construída e, ainda hoje, querem mais sangue para que, só assim, o direito histórico adquirido seja reconhecido.

Qual será o futuro do Michel?

Nos recentes acontecimentos políticos no Brasil, fica claro que o patrimonialismo (de forma material ou não) ainda é predominante nas mais altas esferas do governo, nesse caso, na presidência da república. É chocante como um ministro é pressionado para agilizar um parecer técnico com o intuito de beneficiar um membro do governo.

O Ministro-Chefe da Casa Civil (Geddel Vieira, homem de confiança do Presidente) assume que procurou o então Ministro da Cultura para tratar do processo sobre o empreendimento embargado em Salvador, empreendimento este que o Geddel comprou um apartamento na planta por R$2.6 milhões1.

De um lado temos o IPHAN, que estava empenhado na preservação histórico e patrimonial da região onde o AP milionário seria construído e de outro está um ente do governo que quer aproveitar a oportunidade de enriquecer mais e servir os interesses imobiliários.

Ora, quem ousa ir contra o amiguinho do presidente?

Que não se esperava que o aparecimento do anti-herói, Marcelo Calero. Que não se dobrou a autoridade do Geddel, que levou o caso ao seu amiguinho Temer. E o resultado já sabemos.

Duas coisas ficaram claras com mais esse temeroso episódio deste governo que tem tudo para dar errado. 1º: Geddel usou do cargo para benefício próprio. 2º: O presidente da República, Michel Temer, ajudou o seu amiguinho Geddel e pressionou Calero para o IPHAN liberar o empreendimento.

_ A política tem dessas coisas, esse tipo de pressão. Disse Temer2 conformando o futuro ex-ministro da Cultura.

Até onde vai a inocência de Temer nessa questão? Não vai a lugar nenhum, pois ele não é inocente, ele sabia3 da real intenção de Geddel, de se beneficiar com aquele empreendimento que terá uma supervalorização imobiliária no futuro.

Se o que Michel e Geddel fizeram não foi tráfico de influência, o que foi então?

Este ano foi a uma formatura em uma faculdade particular e um dos donos dessa faculdade disse em seu discurso:

_ O Brasil agora está tomando o rumo da moralidade. (Referindo-se ao novo e “moral” presidente).

O que será que esse senhor pensa agora? Creio que nada, pois os grandes veículos de imprensa, parciais e manipuladores ainda não mandaram para ele(s) a sua ideia pronta da atual situação.

Mas com esse escândalo e esse crime, qual será o futuro do Michel?

Se de fato comprovado que o Michel tentou usar de seu cargo e influência sobre um parecer técnico do IPHAN ele não intermediou conflito (como afirma) e sim quis resolver o problema do Geddel.

Na fala divulgado por Calero, fica evidente uma tentativa de interferência sim, mandando o ex-ministro da Cultura encaminha o processo do IPHAN da AGU dando a entender de que lá ele “ajeita”. Conforme o trecho abaixo4:

Marcelo Calero: Tá. Mas eu… eu… eu até falei com o presidente, Gustavo, eu não quero me meter nessa história não.

Gustavo Rocha: É, e o que ele me falou pra… pra falar era, “veja se ele encaminha, e num precisa fazer nada, encaminha pra AGU”. Falou isso comigo ontem, né? Aí eu falei “não, eu falo isso com ele”.

O Hélio Bicudo (um dos autores do pedido que levou ao impeachment da presidenta Dilma) já se manifestou a favor do #ForaTemer5, dizendo: “A democracia já estava ferida com a saída da Dilma. Por que, então, manter o Michel Temer? Todos sabem que ele não é de nada. O Temer trouxe o pessoal do passado para o presente.”. A impressão que se tem é que o circo já está armado e o Michel já está com a corda no pescoço. Será que ele já se deu conta de que apenas é um peão nesse jogo de xadrez?

O desenrolar deste governo está nas mãos dos próximos presidentes da Câmara e do Senado. Vamos observar a atuação do que o Michel pensa ser a sua base política. Se o PMDB não conseguir colocar outro membro subalterno de seu partido como presidente dessas mesas, ele terá que andar sobre ovos.

Antes do impeachment da presidenta Dilma, eu recebi e-mails de grupos de investimento dizendo “Onde investir se Dilma cair”, não me surpreendi quando recebi “Dilma? Temer? Nenhum dos dois?”. Que isso seja um aleta VERMELHO para o governo.

O PSOL entrou com um pedido de impeachment contra o atual governo, mas está claro que este não será aceito. Porém poderá ser apenas o primeiro pedido de muitos.

Têm muitos partidos que são como abutres, esperam a oportunidade certa. Será que o nosso Michel termina o mandato?

1http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/11/1833719-por-apartamento-de-r-26-milhoes-geddel-brigou-com-banqueiro-e-vereadores.shtml

2http://epoca.globo.com/politica/noticia/2016/11/crise-criada-por-geddel.html

3http://extra.globo.com/noticias/brasil/temer-sabia-de-apartamento-de-geddel-em-salvador-antes-da-demissao-de-calero-20549514.html

4http://g1.globo.com/politica/noticia/2016/11/leia-transcricoes-de-dialogos-gravados-por-marcelo-calero.html

5http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2016/11/28/autor-do-impeachment-de-dilma-helio-bicudo-adere-ao-fora-temer.htm

O que a GloboNews me ensinou com a prisão do Cabral?

manipulacao-midiaticaAcompanhei o caso da prisão do Sérgio Cabral pela Globo News. Não me assustei pela imparcialidade e nem pela manipulação, pois sendo a Globo, já é normal quererem entregar o seu pacotinho de opiniões e julgamentos prontos.

Porém, o que mais me chamou a atenção desde o início da cobertura foi tentar vincular o Sérgio Cabral ao ex-presidente Lula. O problema é que o Cabral é filiado ao PMDB, partido do atual presidente, o Michel Temer.

Não quero aqui defender o Lula, que lutou pelos direitos sociais mas em nada deixou a desejar a pequenos e grandes burgueses, pois como o próprio disse: Nenhum empresário ganhou tanto dinheiro como no seu governo. Mas quero aqui apontar o perigo de instituições de comunicação com um papel tão nocivo quanto a rede Globo, esta que aprendeu muito bem a manipulação da opinião pública, deixando para trás o Cidadão Kane.

Em poucos momentos da cobertura da GloboNews a prisão do Sérgio Cabral ouvia-se que o mesmo era filiado ao PMDB e que as acusações que o levaram a prisão foi da época em que era governador do Rio de Janeiro pelo PMDB. Mas o destaque era: Sérgio Cabral, aliado de Lula. Mas esquecem de citar que para se eleger governador em 2006 ele teve o apoio de Garotinho, também preso, e que à época era membro do partido (adivinhem) PMDB. Mas o destaque era para o único que interessa a mídia, o Lula.

Ora, isso é uma clara vontade de cada vez mais criminar um e poupar outro.

Tempos sombrios estão chegando.

Filme Biográfico ROSA LUXEMBURGO

Luxemberg, Rosa (1870-1919) Em um pódio decorado com flores Rosa Luxemberg discursa em Stuttgart,1907.

Luxemberg, Rosa (1870-1919)
Em um pódio decorado com flores Rosa Luxemberg discursa em Stuttgart,1907.

Filme biográfico da Líder do Movimento Operário Europeu, Rosa Luxemburgo. Encontrei recentemente em algumas buscas na internet.

Filme muito bem produzido, conta parte da história desta grande figura que dedicou a sua vida em prol da luta da classe trabalhadora, se opondo veementemente contra a 1ª Guerra Mundial, alegando que as grandes vítimas serão os trabalhadores que irão lutar nas trincheiras em prol de interesses da grande burguesia.

Mais sobre Rosa Luxemburgo.

rosa-luxemburgo-1986

Título Original: Rosa Luxemburg
Direção: Margarethe von Trotta
Gênero: Drama/História
Ano de Lançamento: 1986
Duração: 95 min
País: Tchecoslováquia/Alemanha

Sinopse: Nascida na Polônia e doutora em Ciências Econômicas, Rosa Luxemburgo torna-se uma das grandes líderes do movimento operário revolucionário alemão, adere ao Partido Social-Democrata alemão em 1898 e em 1914, rompe violentamente com essa agremiação. Rosa, a Vermelha, como era conhecida, visceralmente internacionalista e antibelicista condena como uma traição o apoio dos social-democratas à deflagração da Primeira Guerra Mundial. Ao lado de Léo Jogiches, o amante e do revolucionário Karl Liebknecht, junto com o qual fundou a Liga Spartakus, embrião do futuro Partido Comunista Alemão, a militante se embrenha cada vez mais no movimento de massas, passando longos períodos na prisão.

Download: Rosa Luxemburgomega

 

Centenas de livros Marxista para baixar

Ladies and gentlemen, navegando neste vasto mundo cibernético, deparei-me com um link de centenas de livros Marxistas para baixar. Sendo assim, compartilho aqui o link do mesmo. Lá encontraremos Paulo Freire, Caio Prado Jr, Che Guevara, Fidel Castro, Antônio Gramsci, David Harvey, Enrique Dussel, Stalin, Trotsky entre outros. Então vamos aproveitar e disseminar o conhecimento na rede.

Link para os arquivos: https://mega.nz/#F!o8NQWSyI

captura-de-tela-de-2016-10-07-181121 captura-de-tela-de-2016-10-07-181102